Você ama pets como a gente?

A campanha Pets & Tapetes envolveu sete arquitetos, designers e decoradores para contar como são suas vidas com seus filhos de quatro patas e ao mesmo tempo pautamos assuntos como: Adoção, consciência e responsabilidade. A ação não parou por aí: Nós concordamos e agitamos a ideia. afinal viver sem a companhia e amor deles é uma perda de tempo incalculável, relatam os profissionais chamados para esta campanha. Para isso, temos tapetes desenhados especialmente pelos profissionais com parte da verba destinada a um projeto da causa animal.

aNNA maya

“Todos deveriam ter um bichinho em casa”. Sábio conselho de Anna Maya, que vive uma relação de puro amor com a sua gatinha Chanel. E cada vez que a arquiteta encara um dia intenso de trabalho, é a peludinha que a recepciona ao final da jornada, cheia de carinho para dar. “Sempre tenho um motivo muito bom para chegar em casa. Ela fica feliz quando nos vê. Nos relaxa, nos dá amor sem pedir nada em troca”, enfatiza Anna. Chanel entrou para a família há poucos meses, após a perda do primeiro mascote, foram 11 anos insubstituíveis no coração de todos. O astral não era o mesmo, a morada ficou vazia, a saudade só aumentava e até hoje aperta. A ideia de acolher outro bichinho ganhou força, estimulada pela mãe de Anna. Até que a paixão despertou, à primeira vista, e levou a família até o interior de São Paulo, onde a peludinha estava. De lá pegaram estrada, de carro mesmo, para trazer a adorável filhotinha para suas vidas de vez. Grande decisão, todos concordam! Chanel, claro, foi a musa inspiradora do tapete Ciclos, desenhado por Anna Maya especialmente para a campanha Pets e Tapetes da Studio Ambientes. A geometria entra como forte traço de identidade do trabalho da profissional. E o mais bacana é que parte da verba do produto será destinada a um projeto da causa animal. Os participantes da ação ainda vão ajudar a divulgar uma turminha patudinha que aguarda pelo grande dia de adoção.

cris delpizzo

Alegria total! Cris Delpizzo não imagina um dia sequer da sua vida sem a agitação da duplinha Vida e Missy. Irmã e sócia de Gi Delpizzo, a arquiteta e o designer de interiores cresceram em meio ao bichinhos, tendo como grandes entusiastas dessa relação – boa demais por sinal – o avó e pai. Vida foi a primeira a chegar no lar. Cris já conversava com o filho, na época com seis anos, sobre a possibilidade de comprar um cachorro. Foram atrás, visitaram alguns canis e encontraram a yorkshire num estado deplorável. Ela havia sido devolvida, bastante debilitada, com poucas chances de recuperação. O coração bateu forte, mesmo contrariando o insensível conselho da dona do canil de evitar transtornos – por isso verifique a procedência de todo canil e o coração de quem o conduz antes de comprar um bichinho ou opte pela adoção. “Vamos cuidar dela mamãe!”, disparou seu filho e assim Vida recebeu uma segunda chance (muitos cachorrinhos são abandonados quando não dão lucro para os “criadores”). Não faz muito tempo Missy apareceu no pedaço. Era usada como matriz e já não dava o resultado esperado para os criadores. Seu desfecho seria o mesmo de Vida. Porém, Cris intercedeu no trajeto e trouxe a pequena para perto do seu amor. “Ela ainda estava com a cicatrizes da cesária, sangrando, toda debilitada. Decidimos: vamos cuidar dela!”, lembra Cris. E lá se passou um ano. “Eu não imagino a minha vida sem elas. O cachorro pra mim é tudo, carinhoso, um amigo. Não existe mais vida sem eles. O Gi sempre teve gato, a perda o fez evitar um pouco o assunto. Quando a Missy chegou, conexão imediata. Ela vai para a casa do tio nos fins de semana”, conta. Em homenagem à alegria da duplinha, os profissionais assinam o tapete “Party” especialmente para a campanha da Studio Ambientes. Trabalharam a ideia de dois dogs à beira de um rio com o reflexo projetado na superfície da água. “A gente quis trazer a alegria delas, de rabinho e orelhinha em pé, demonstrando vivacidade. Tudo de bom que eles trazem para as nossas vidas e casas”, completa Gi. Parte da verba do tapete será destinada para um projeto da causa animal.

lu bossle

Mano foi abandonado doente num bairro afastado em Florianópolis. É o que acontece com milhares de cachorros adquiridos ou adotados em decisões de nenhuma consciência e responsabilidade. Conquistou de cara a arquiteta Lu Bossle e o marido Andreas. Eles assumiram a história toda, inclusive, a recuperação do dog numa hospedagem, enquanto preparavam o lar para a chegada do novo integrante de quatro patas. Mano é da família! “Não consigo mais dissociar, é um filho. A partir dele tudo modificou na nossa casa, ele é a alma da morada, influenciou o jeito que vivemos. Tudo fica melhor com ele por perto”, revela emocionada. A adoção é palavra que ela incentiva, lembrando os muitos cães e gatos que perambulam pelas ruas.”O bacana seria adotar com toda a consciência e querendo realmente fazer isso. O ato é de muita responsabilidade”, lembra. Não faz muito tempo o Bud chegou na área. Está ali temporariamente, mas já se sente o dono do pedaço e brother do Mano. Para seu tapete desenhado exclusivamente para a campanha Pet’s e Tapetes, Lu construiu e desconstruiu geometrias, brincou com a paleta de cores e, confessa, adorou o resultado. Parte da venda da peça será destinada a um projeto da causa animal.

beatriz zeglin

Há 3 anos os caminhos da arquiteta Beatriz Zezlin e Zizou se encontraram. Ele a escolheu como tutora. “Eu nunca tinha adotado um cachorro antes, não preciso dizer que minha vida mudou completamente. Tive prejuízo (risos), já reformei tapete, móvel, um monte de coisa, mas é o de menos. Não me arrependo de nada”, conta Bea. Zizou é um cão doidão, alegre que está sempre a postos para um bom passeio e diversão. O temperamento agitado do patudo não tem a menor importância para a arquiteta. Ela o ama assim do jeitinho que é e entende que precisa enchê-lo de atividades para gastar toda essa carga de energia. Assim, os dois aproveitam juntos os fins de semana, brincam demais. “Eu sou muito feliz por ter ele na minha vida”, afirma. Foi numa viagem recente a Portugal que Bea trouxe a ideia do tapete. O desenho do piso da Universidade de Coimbra foi transportado para a peça, que terá parte da verba destinada a um projeto da causa animal.

cris passing

Kiko e Nero eram a duplinha inseparável da arquiteta Cris Passing. Não faz muito tempo Kiko virou estrelinha, já estava velhinho e com alguns problemas de saúde. Nero, assim como toda a família, sentiu muito. Eles passavam 24 horas do dia juntos. Kiko era o cão mais velho, mais na dele. Nero sempre enlouquecido pela bolinha de futebol. Agita-se cada vez que alguém toca a campainha da casa e leva a bolinha na boca como um pedido fofo de “brinca comigo?”. Quem resiste? Cris não. O amor por eles é gigante e ela quis expressar no tapete desenhado para a campanha da #studioambientes. Kiko era um poodle branquinho, Nero pretinho. Preto e branco, opostos, complementares. Kiko e Nero: Um amor só! Parte da verba da peça será destinada a um projeto da causa animal.

haus

Boo é o mascote dos meninos da Haus Arquitetura. Ele acompanha a dupla na rotina diária do escritório, também é louco por sua bolinha amarela e adora quando alguém resolve lança-la longe, para que possa correr, correr, correr. Abocanha e traz de volta para nova aventura. Também costuma dar o ar da graça – aquela imponência do chow-chow – nos ambientes assinados pelos arquitetos nas mostras de decoração. Faz o maior sucesso. Aprendeu a dividir espaço com a Loira, adotada recentemente, de temperamento calmo, olhar meigo, que já conquistou lugar cativo no coração da dupla. Para o tapete criado especialmente para a #studioambientes @mahwolschick e @alexandremuller pensaram no resgate dos bichinhos de rua, no sofrimento e depois na alegria com a adoção. O desenho brinca com os batimentos do coração. A peça chamada de Beach terá parte da verba da peça será destinada a um projeto da causa animal.

claudia couto

Não tem como não se apaixonar por Ziggy. O golden que divide os dias com a decoradora @claudiacouto50 e o marido Renato Gasparini. São mais de 11 anos de amizade, caminhadas frequentes pelos parques da cidade e muito, muito amor compartilhado. A família até evita viagens demoradas, ficar longe é um sofrimento, o coração aperta demais. A alegria dobrou com a chegada da pequena Galega – dog do filho do casal -, ativa que só, dá uma canseira no tranquilo Ziggy. “Os pets na nossa vida só trazem alegria e paz. São seres iluminados”, incentiva ela. Para a produção da campanha #studioambientes a profissional escolheu o modelo de tapete “xxx”.

Marina Makowiek

A história de Kiko é a de muitos cachorros e gatos abandonados nas ruas todos os dias. O patudinho sofreu maus-tratos, teve a sorte de ser socorrido por alguém de bom coração – grande parte deles morre sozinho por falta de amparo – , que o levou para uma clínica veterinária. Lá recebeu todo o tratamento e carinho para recuperar a saúde e também a confiança no ser humano. “Se ele não fosse adotado seria levado para um abrigo. Ficamos sabendo dele por conhecidos, fomos vê-lo e o levamos direto pra casa”, conta Marina, relembrando o dia, há quatro anos. Não são todos que têm a mesma sorte, ainda mais, se tratando de um cão sem raça definida de pelagem preta, que sofre preconceito na hora da adoção. São vários atos significativos neste texto. A adoção, disparada, é a principal atitude de amor e responsabilidade neste caso. Hoje são 30 milhões de animais abandonados no Brasil, vítimas de violência e descaso. Marina acolheu Kiko, Kiko acolheu Marina. Se o seu coração balançou por um pet nesta campanha: não compre, adote!

Fotos: Mariana Boro

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *